Espiritu – Crisalida (1974)

espiritu-crisalida-1975Originally published on 28.12.06 (New Progshine blog)

Espiritu
Crisalida
1975
Talent / SE-566

Track listing:
01. La casa de la mente 6:55
02. Prolijas virtudes del olvido 2:54
03. Sueños blancos, ideas negras 6:04
04. Sabios de vida 6:03
05. Eterna evidencia 3:05
06. Tiempo de ideas 3:29
07. Hay un mundo cerrado dentro tuyo 4:19
08. Hay un mundo luminoso 8:03
Total length: 40:52

Review:

O ano de 1969 viu o nascimento da banda Onda Curta, que 3 anos mais tarde seria chamada do que conhecemos hoje como Espiritu. Banda Argentina dona de um estilo peculiar e particular que nos traz um prog sinfônico com toques a la Yes. Só um adendo no site dos caras, (nesse link que eu postei) na seção MP3 tem uma coletânea bem bacana que eles disponiblizaram com capa e tudo pro pessoal.

01. La Casa Dela Mente
Começo tímido, teclado na frente num crescendo, a melodia aumenta, dá susto num riff de guitarra animal, e em quebradas da banda. Um toque acústico quando o violão entra, quase uma nova música. Os vocais principais de Fernando Berge lembram (e bastante) os vocais do Mutantes prog, ainda mais quando as vozes de todos entram junto. Belas passagens de teclas e vocais dão um alto nível pra composição que logo muda novamente dando lugar pros sintetizadores tomarem conta de tudo, o violão fecha tudo com chave de ouro na melodia que se repete junto ao vocal.

02. Prolijas Virtudes Del Olvido
Na cola vem a 2ª faixa que segue a melodia iniciada na música anterios com vocais sobrepostos, e belas passagens de sintetizador. Um teclado insistente entra pra que logo em seguida mais sinths e…. Surpresa!

03. Suenos Blancos, Ideas Negras
A terceira faixa entra num clima de calmaria e renovação. Belo solo de guitarra wha, o que eu chamaria de ‘Suenos Blancos’. Na segunda parte da canção as ‘Ideas Negras’ vem à tona e quebrando tudo. Belas convenções e riffs com peso na medida certa, um arraso!

04. Sabios De Vida
Começa com barulhos e sons, que eu imaginei serem submarinos, mas logo entram as vozes como se estivessem numa ‘caixa’. O riff que se segue é imponente, e a linha de baixo é totalmente inspirada em Chris Squire (Yes, que com certeza é o baixista mais influente de todos os tempos). Depois o violão toma conta de tudo com uma competência incrível, tendo de fundo os teclados, e a melodia vocal é uma das coisas mais bonitas que ouvi. As vocalizações são realmente demais.

05. Eterna Evidencia
Essa daqui começa já quebrando tudo o teclado de Gustavo Fedel pega fogo em todos os sentidos, prog louco dos melhores, bem no naipe do que o Yezda Urfa fazia. Um instrumental dos infernos de bom!

06. Tiempo De Ideas
Belo órgão, vocal catedrático e melodia marcante. Uma canção cheia de imponência e melodias.

07. Hay Un Mundo Cerrado Dentro Tuyo
Mais uma vez o violão é a bola da vez fazendo com que as coisas sejam esquecidas pelo menos por um momento. É incrível a semelhança com Yes essa faixa. Os teclados são muito bem tocados em todas as faixas, (se vocês lerêm no site deles ficarão sabendo da história que em 1973 os caras foram pros States pra comprarem equipamentos e trouxeram um Sintetizador Moog, um dos primeiros pela américa Latina, e olha que eles nem tinham tecladista ainda risos).

08. Hay Un Mundo Luminoso
Em seguida a faixa de encerramento segue na melodia da anterior só pra que não fiquemos na mão. O destaque está também no baixo com efeito wha de Claudio Martinez, que antes era baterista (?!?) Uma música excelente pra encerrar o disco.

Este disco na verdade foi composto pra que fosse uma obra de duas canções de 21 minutos cada, mas quando os rapazes foram gravar as condições dos estúdios Argentinos da época não permitiam tal feito, era difícil já que os técnicos de som só estavam acostumados as canções de 3 minutos, queriam que fossem gravados as duas faixas de 21 minutos de uma só vez ao vivo, e todos sabem que em uma canção desse porte com todas as trocas de instrumento isso é impossível.Não vou contar todas as histórias do site dos caras entrem lá e confiram, muito legal a história dos caras, um exemplo de como algém pode se esforçar ao máximo quando ama algo mesmo.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s