Styx – Styx (1972)

Styx_003

Originally published on 20.12.06 (New Progshine blog)

Styx
1972
Wooden Nickel / WNS-1008

Track listing:
1. Movement for the Common Man 13:11
a. Children of the Land / b. Street Collage / c. Fanfare for the Common Man / d. Mother Nature’s Matinee
2. Right Away 3:40
3. What Has Come Between Us 4:53
4. Best Thing 3:13
5. Quick Is the Beat of My Heart 4:49
6. After You Leave Me 4:00
Total length: 33:46

Review:

O tipo de banda que normalmente as pessoas sentem um pequeno remorso em dizer que gostam, assim como Journey, The Alan Parsons Project, Boston, Chicago, Ambrosia, Barclay James Harvest, etc… Ou seja, só som excelente! Formada ainda em 1972 nos primeiros dois anos a bdna praticou um quase progressivo, só mudado depois do quarto disco.

01. Movement For The Common Man
Levemente baseada em The Fanfare For The Common Man de Aaron Copland (que 5 anos mais tarde o E,L&P faria uma versão), começa quase como um Hard/Prog, com o vocal rasgado e bons riffs de guitarra, Refrão bem interessante com um baixo de pegada animal. Os solos também aparecem a todo instante. Segunda parte de percussão estranha com eletrônica e ‘sons’ por toda a parte, baixo cheio de efeito, guitarra wha e hammond comendo solto. Numa terceira parte uma espécie de monólogo na beira de estrada, tipo carona mesmo, que na minha opinião é uma das coisas mais legais que eu já ouvi, eu imagino todas as cenas e personagens na minha cabeça, o que é excelente! No que seria a terceira parte sim é que entramos num ar total E,L&P, com timbres melodias e percussões, e logo em seguida mais prog baby! Violões, e muitos teclados e uma grande melodia vocal, daquelas que eu canto junto (desculpem-me, não pude colocar as letras junto do arquivo, mas no site deles tem as letras). São muitas as partes diferentes da canção, que juntas formam uma peça de extremo bom gosto e inteligência, sem sombra de dúvida um épico esquecido!

02. Right Away
Uma beleza de canção com refrão grudento e muito bom, daquelas que tocaria em qualquer rádio, mas não toca porque as rádios cobram pra isso (PQP, e olha que rádio é concessão pública!) Bom solo de guitarra.

03. What Has Come Between Us
Ótima entrada de piano e muitas convenções com todos tocando junto, mas em destaque para o teclado. Em seguida os violões com melodias dupliacadas e um refrão muito legal, destaque na bateria de John Panozzo muito bem tocada e timbrada. A parte instrumental é quase que totalmente E,L&P (se não fosse o solo de guitarra).

04. Best Thing
Violão, vocal e melodia a la The Who! Vários vocais cantando em coro, o baixo com aquele timbre muito foda, e relativamente pesada. Muito boa.

05. Quick Is The Beat Of My Heart
Riff ferrado, hammonds a toda, vocal e uma eterna guitarra ‘frenética’ ao fundo, os dois guitarristas da banda James Young e John Curulewski não estão ali brincando eles sabem realmente o que fazer com as duas guitarras (ao contrário de bandas como Iron maiden por exemplo). Final horripilante, eco infinito e o início de uma ‘reza’.

06. After You Leave Me
Um riff a la Deep Purple, só que mais profundo, belos vocais um teclado bacana, e belas melodias fazem da canção um raro caso de um prog estranhamente diferente. Vocal final muito legal.

No resumo final o saldo é muito bom, um disco curto (como todo disco dos anos 70), mas de extremo bom gosto, deveríamos ouvir mais essas coisas.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s